Adsense acima abaixo política = Residencial Alto do Bacuri
Polícia Civil

Polícia faz operação em institutos acusados de vender diplomas falsos no Maranhão

IES e CEPAP também são investigados por estelionato e associação criminosa na oferta de cursos de nível médio e superior junto ao CEE/MA e ao MEC. Suposto proprietário foi preso.

27/06/2019 07h49Atualizado há 3 semanas
Por: Redação Maranhão em Pauta
Fonte: Maranhão em Pauta
650

Uma operação da Polícia Civil nessa quarta-feira (26) apreendeu vários computadores, celulares e arquivos do Instituto de Educação Superior (IES) e Centro Educacional Padre Pio (CEPAP), investigados por falsificação de documentos, estelionato e associação criminosa na oferta de cursos de nível médio e superior junto ao Conselho de Educação do Maranhão e ao Ministério da Educação.

Durante a operação, a polícia encontrou diplomas assinados em branco - alguns assinados sem o curso que o aluno estaria se formando - históricos escolares assinados em branco, além de uma arma de fogo com numeração suprimida.

Segundo a polícia, o empresário e professor Lázaro Mota de Sousa é o proprietário do IES e CEPAP, que possuem sede em Barra do Corda e possuem extensões nas cidades de Jenipapo dos Vieiras e Poção de Pedras.

Lázaro foi preso em flagrante e encaminhado para a Unidade Prisional de Barra do Corda pelo crime de posse ilegal de arma de fogo restrita, falsificação de documentos públicos. A polícia informou ainda que as investigações apontam que Lázaro atuaria vendendo certificados e diplomas falsos na região.

Em depoimento à Polícia Civil, Lázaro negou os fatos dos cursos serem irregulares. No entanto, a polícia reafirmou ao G1 que o MEC e o CEE/MA afirmam que os cursos são irregulares. Quanto aos diplomas em branco, Lázaro disse que eram dele, mas de uma instituição de Imperatriz. Alegou ainda que daria os diplomas apenas aos alunos que cursarem e se formarem nos cursos.

Fonte: G1

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.